27/02/2015

UM LUGAR MUITO ESPECIAL

ONDE ? ... Todas as fotos são do mesmo local e do nosso amigo Ricardo Santos !

(Comentários moderados)




.

26/02/2015

POEMA DOS HOMENS CONSTIPADOS

Sinceramente parece-me haver algum (muito) exagero do António Lobo Antunes ! rsrs
Será que ele é mesmo assim, quando tem gripe ? ... ahahah
... O que pensam vocês, homens, disto ?

E vocês, mulheres, muito sinceramente, não acham que há aqui uma depreciação exagerada do homem ? ... Eu sei que é sátira, mas c'os diabos ! Não exageremos tanto ! rsrsrs ... e  não me venham com aquelas estórias dos partos, que assim, que assado ! ... rsrs
Vocês, nunca apanharam uma "bolada", ou uma joelhada, ou um pontapé, num certo sítio  que é fácil de adivinhar, pois não ?! ahahah

Ora digam lá o que lhes dói mais e as faz mesmo ir abaixo ?! ...  :))) 

Falando por mim, nunca, mesmo nunca, me senti numa situação destas, até porque, pasmem, nunca tive gripe na vida, mas apenas umas ligeiras constipações, sem necessidade de cama ! Para mim, só têm sido "doses de cavalo", que nem sequer doeram muito e tenho-me aguentado muito bem ! :)))



Então, o Poema é este :

Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.
Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se tu sonhasses como me sinto,
Já vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
Anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo
Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.
Faz-me tisana e pão de ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer
.
   
   


António Lobo Antunes - (Sátira aos HOMENS quando estão CONSTIPADOS)
Espera-lhe pela volta Toninho, que quanto te encontrar vais ouvir das boas ! :(

.

25/02/2015

UM DOCE A QUEM ACERTAR

Reeditado com soluções


(Fotos de Ricardo Santos)







Trata-se da parte traseira (do lado dos Jerónimos) do    Monumentos das Descobertas    ou    Padrão dos Descobrimentos,     em Belém, 


com a frente virada ao Tejo, junto ao Mosteiro dos Jerónimos, à Torre de Belém, ao Centro Cultural de Belém e próximo da residência da Presidência da República, assim como da célebre fabrica e pastelaria dos Pasteis de Belém.

O monumento atual foi inaugurado em 1960 no contexto das comemorações dos quinhentos anos da morte do Infante D. Henrique.

Muito maior que o que se julga, em 1985 o interior foi remodelado, dotando o Padrão de um miradouro, auditório e salas de exposições.

O Padrão foi então inaugurado como Centro Cultural das Descobertas.

No interior do monumento, que hoje acolhe o Centro Cultural das Descobertas, existem, no piso inferior, um auditório com 101 lugares e duas salas de exposição.



(Fotos da net)



No interior do monumento, que hoje acolhe o Centro Cultural das Descobertas, existem, no piso inferior, um auditório com 101 lugares e duas salas de exposição.

     O piso superior dispõe de quatro dependências rectangulares e, no topo, localiza-       se um miradouro de onde se descortina um belo panorama de Belém e do rio Tejo.

    No chão do espaço fronteiro a norte do monumento encontra-se representada uma     rosa-dos-ventos de 50 metros de diâmetro

Altura – 56m;   Largura – 20m;   Comprimento – 46m;   fundações com 20 m de         profundidade.



Parabéns a :
Tim tim por tim tim,    Majo,    Afrodite,    Ricardo Santos,    Flor de Jasmim,   JU, Prof João Paulo de Oliveira,    Pedro Coimbra,   Papoila.

Obrigado pela colaboração e participação a :
Janita,   Angela,    Fê Blue Bird,    Luisa,   Carlos Barbosa de Oliveira,   Gábi,

Um agradecimento especial ao Ricardo Santos, autor das fotos (Inicial e 3 primeiras da reedição)


INICIAL :

Só quero saber o que é isto e onde está ! :)))



... e não me venham dizer que não sabem, que eu não acredito ! rsrsrs
... É mais conhecido que a Sé de Braga !!! :)))

.

22/02/2015

POEMA ERÓTICO - CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


Carlos Drummond de Andrade foi um poeta, contista e cronista brasileiro, considerado por muitos o mais influente poeta brasileiro do século XX.

Nasc. 31 de outubro de 1902, Itabira, Minas Gerais, Brasil
Falec.17 de agosto de 1987, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Drummond, como os modernistas, segue a libertação, com a instituição do verso livre, mostrando que este não depende de uma métrica fixa.
Se dividirmos o modernismo numa corrente mais lírica e subjectiva e outra mais objectiva e concreta, Drummond faria parte da segunda.

Sobre o poema :

Há noites inesquecíveis !... Noites que verdadeiramente nos marcam profundamente e das quais não nos esquecemos nem por um minuto que seja no dia seguinte ! 
Noites mal dormidas, pela surpreendente entrada em cena de alguém com quem não contávamos e que nos impede um sono habitual e tranquilo.
Noites que nos ficam a remoer o pensamento e que ansiamos se repitam !

Compreendo portanto, muito bem, este seu poema erótico, do qual sobressai um Drumond , inicialmente passivo, mas que o desenrolar dos acontecimentos de uma noite o torna diferente, devedor, digamos até “vingativo” e sádico, com uma vontade férrea de se entregar, ao extremo, como recompensa dessa outra noite!

Um poema extraordinário de erotismo !


Poema erótico de Drummond de Andrade

Satânico é meu pensamento a teu respeito, e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem.

A noite era quente e calma e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste.
Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor!

Percebendo a minha aparente indiferença, aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escrúpulos. Até nos mais íntimos lugares.  Eu adormeci.

Hoje, quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão.
Deixaste em meu corpo e no lençol provas irrefutáveis do que entre nós ocorreu durante a noite.

Esta noite recolho-me mais cedo, para na mesma cama te esperar.
Quando chegares, quero-te agarrar com avidez e força.
Quero-te apertar com todas as forças de minhas mãos.







Só descansarei quando vir sair o sangue quente do teu corpo.
Só assim, me livrarei de ti, mosquito Filho da Puta! 
.

21/02/2015

REGRESSO AO PASSADO (HISTÓRICO)

Reeditado com "Aditamento"

Para melhor compreenderem a "situação económica" do período anterior e seguinte ao 25 de Abril e nomeadamente aos Grandes Grupos Económicos (CUF - explorem o link e vejam a enorme quantidade e variedade empresarial - e Champalimaud - o homem mais rico de Portugal e detentor de um dos 20 maiores Grupos europeus), recomendo-lhes  ESTE  link e  ESTE.

Principalmente este 2 Grupos, também o Grupo Espírito Santo (que regressou para se manter à custa da "compra" dos políticos e das políticas de todos (?) os quadrantes) e ainda uma outra série de outros mais pequenos, mas suficientemente Grandes eram um extraordinário suporte económico de Portugal e grandes criadores de emprego !

Quando a mim, foi um tremendo erro que a Revolução os levasse praticamente à extinção, ao nacionalizá-los e levar ao exílio dos "ditos ricos".

A esse propósito, em determinada altura da Revolução,  Otelo Saraiva de Carvalho fez uma visita de Estado à Suécia, para se encontrar com Olav Palm a quem referiu a decisão de "pretendermos" acabar com os "ricos" em Portugal.
Olav Palm, mostrou-se espantado e apenas retorquiu : É curioso !  Nós aqui queremos é acabar com os "pobres"

................................................................................................

É natural que pensem que a TAP sempre existiu, ou,... que foi a primeira Transportadora Aérea !  :))
... mas não !!!

E o que havia antes da TAP   ? ...alguém sabe?

Quem é que afinal sabia que a CUF teve uma companhia de aviação?
Já agora, convém recordar que CUF, queria dizer “Companhia União Fabril” e pertencia ao "Grupo Mello" (...era "dona de tudo", dizia-se.  loool ) .

Já agora, vem a propósito referir que, na altura, havia 3 Grandes "Impérios", Grupos suporte da economia portuguesa :
Este Grupo C.U.F,  o  Grupo Champalimaud e o Grupo Espírito Santo  !!!

Certamente serão poucas pessoas as que sabem tal facto (CUF), provando mais uma vez o pioneirismo desta "velha" Empresa, em muitos sectores, até mesmo o da aviação.

Pois é ! ... Existia a C.T.A. - Companhia de Transportes Aéreos

A 19 de Julho de 1945, a Sociedade Continental de Transportes Aéreos, é transformada na C.T.A. com o objectivo de explorar linhas aéreas no território nacional ou fora dele.

Pois bem, essa é a interessante e curiosa história (que fica para a história), que se segue :

Aquando da sua fundação o capital desta sociedade era de 5.000 contos, subscrito e divido pelos seguintes accionistas:

- Daun & Bleck, Limitada, 500.000$
- Carlos Eduardo Bleck, 250.000$
- D. José de Saldanha, 250.000$
- Manuel Augusto José de Mello, 300.000$
- Sociedade Geral de Comércio, Industria e Transportes Limitada, 2.000.000$
- José Inácio Castel-Branco, 100.000$
- Dr. Luiz Albuquerque de Sousa Lara, 300.000$
- Sousa Lara & Filhos Limitada, 500.000$
- Fernando Enes Ulrich, 100.000$
- Dr. António Garcês, 100.000$
- António de Sommer Champalimaud, 200.000$
- Dr. José de Sousa e Melo, 200.000$
- João Maria José de Mello, 100.000$
- Dr. Alvaro Belo Pereira, 100.000$

Como se pode ver pela lista atrás apresentada, fazem parte dela nomes sonantes da economia nacional, como António Champalimaud, a família Sousa Lara que detinha grandes investimentos no Ultramar, ou os Ulrich ligados a diversos interesses económicos.

A maioria do Capital accionista (2.300.000$) era detida pela Sociedade Geral e Manuel de Mello, colocando assim esta Holding da CUF no comando desta nova empresa.

No dia 2 de Dezembro de 1945 (4 meses após a constituição desta sociedade) era oficialmente inaugurada pelo Presidente da República Óscar Carmona e demais membros do Governo a carreira Lisboa-Porto-Lisboa.

Apresenta nesse mesmo ano a filiação na I.A.T.A. (International Air Transport Association), que ainda hoje é a mais alta autoridade internacional do transporte aéreo) sendo esta aceite.

A C.T.A. vai construir toda uma infra-estrutura de apoio às suas rotas aéreas. Para isso constrói hangares privativos nos Aeroportos de Lisboa e Porto, com oficinas , armazéns, operações de voo, equipamento de rádio, salas de pessoal navegante, cantinas, etc.

Por essa altura o pessoal ao serviço da C.T.A. deveria de rondar as 70 pessoas, número que teria tendência a subir com a expansão da Companhia.

Havia já planos de expansão delineados por fases. Em 1946 o objectivo seria inaugurar uma rota Lisboa-Madrid com um serviço diário, pedindo autorização para tal ao Governo, sendo esta recusada, ficando outros projectos na gaveta, como as Linhas Internacionais no Continente Europeu, e obviamente aquilo que então se designava pelas Linhas Imperiais de modo de ligar a Metrópole com as principais cidades do seu Ultramar.

Devido à politica do Governo, e de homens como o sobejamente conhecido Secretário da Aeronáutica Civil Humberto Delgado, preferiu-se reorganizar o Transporte Aéreo em Portugal, chamando as Autoridades tais responsabilidades, preferindo deixar cair a C.T.A. (talvez por esta estar nas mãos de privados) e criar assim os Transportes Aéreos Portugueses (T.A.P.) cuja metade do capital accionista estava nas mãos do Estado, sendo o restante subscrito por privados.

A linha Lisboa-Porto-Lisboa é suspensa em 1947, e a C.T.A. seria liquidada definitivamente em 1949.

E desta efémera e interessante história falta apresentar um interessante e raro lote de documentos respeitantes a esta empresa, isto porque uma Madame Silva (que é como está escrito no bilhete) que na época tinha 23 anos, guardou tais documentos, talvez como recordação, e assim chegaram ao nosso conhecimento, sendo um testemunho (histórico) da breve história da C.T.A.



Capa do Bilhete
Talão de Bagagem (verso)
Talão de Bagagem (frente)

                       A Capa do Mapa com a Viagem a ser efectuada pelo avião

Contracapa do Mapa
Mapa da Viagem

                                       Custo do Bilhete (303 escudos em 1946)

                                                     
Aqui fica o envelope enviado pela C.T.A. com a respectiva apólice e o cartão de cumprimentos da seguradora:


Esta Passageira que viajou para o Porto, fez um Seguro Pessoal de Transportes Aéreos, e qual seria a companhia?
Só podia ser a Império, claro!
Sendo também ela pioneira neste tipo de seguros, o custo do mesmo, já com todas as despesas incluídas, era de 20 escudos.

Apólice (frente)
Apólice (verso)

Bibliografia:

- Estatutos da C.T.A.
- Relatórios de Contas da C.T.A.
- Boletim da C.T.A. (1946)
- História da Aviação Civil em Portugal