14/10/2010

E O DECRETO DA FOME É PUBLICADO

.

JOSÉ RÉGIO


SONETO QUASE INÉDITO (e muito actual)



Surge Janeiro frio e pardacento,

Descem da serra os lobos ao povoado;

Assentam-se os fantoches em São Bento

E o Decreto da fome é publicado.


Edita-se a novela do Orçamento;

Cresce a miséria ao povo amordaçado;

Mas os biltres do novo parlamento

Usufruem seis contos de ordenado.


E enquanto à fome o povo se estiola,

Certo santo pupilo de Loyola,

Mistura de judeu e de vilão,


Também faz o pequeno "sacrifício"

De trinta contos - só! - por seu ofício

Receber, a bem dele... e da nação.





Soneto escrito em 1969, no dia de uma reunião de antigos alunos.

Tão actual em 1969, como hoje...



(recebido por e-mail)

.

.

8 comentários :

  1. Já o tinha recebido por mail!
    Nem sei como tantos portugueses podem sobreviver com o que ganham... :-((

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Eu é que tenho montes de razão: Portugal encalhou algures no túnel do tempo!!

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  3. Não recebi por mail e gostei de conhecer! Infelizmente, como bem dizes, continua muito actual... :(

    ResponderEliminar
  4. Tão actual que até arrepia!
    bji, amigão

    ResponderEliminar
  5. Todas
    Peço desculpa por não responder aos comentários individualmente.
    Tenho estado ocupadíssimo com assuntos de saúde (consultas, exames e mais exames), além de todos os restantes (habituais), o que não me tem permitido estar no computador.
    Por isso mesmo também não tenho visitado ou comentado (ou muito pouco) nos vossos blogs.
    Obrigado pela V/ atenção e amizade !
    Logo que possa retomarei o ritmo anterior, mas vou "espreitando" :))))
    Bjs
    .

    ResponderEliminar
  6. donatien
    As minhas desculpas pelo "Todas" ! :)) Esqueci-me do /os rsrs
    Abraço
    .

    ResponderEliminar