18/09/2011

PARA PROFESSORES E PARA PAIS

E VOCÊS, PAIS DE FILHOS A INICIAR NOVO ANO ESCOLAR E VOCÊS PROFESSORES, O QUE PRETENDEM PARA OS VOSSOS FILHOS E VOSSOS ALUNOS ?

.
Do Blog "Picosderoseirabrava", este post deve ser lido (ou ouvido) por todos os professores e por todos os pais que têm filhos a iniciar um novo ano escolar !

É a altura própria e dado haver quem não domine perfeitamente o inglês, aqui fica (abaixo)a proposta de tradução da Carol (para quem quiser imprimir).

Para facilitar arranjei uma versão com legendas.




Tradução :


O que eu quero para os meus filhos

Os nossos filhos são extraordinários! Nós trouxemo-los para casa, sentámo-nos e observámo-los atentamente – que pequeninos seres humanos!

Maravilhámo-nos com a perfeição de cada dedinho das mãos e dos pés, com os seus narizinhos, com as suas boquinhas de botão de rosa. Com a sua macieza, com o seu cheiro.

Acordávamos durante a noite só para ver se ainda respiravam. Amamo-los tão intensamente que saltaríamos para a frente de um autocarro para os salvar. E esse amor não desvanece nem se torna menos intenso à medida que eles crescem. Ainda nos esgueiramos para os seus quartos para os vermos a dormir, talvez para lhes acariciarmos as faces ou para lhes darmos um beijo na testa.

Se foi um dia difícil, se lhes ralhámos ou gritámos com eles, ali ficamos a sentirmo-nos culpados e a dizermos que amanhã faremos melhor, teremos mais paciência e encontraremos uma forma melhor e sussurramos “amo-te!”. E preocupamo-nos. Estaremos a fazer o suficiente enquanto pais? Estarei a fazer o suficiente ou estou a falhar em alguma coisa? A vida é tão agitada que nem sempre temos tempo para sermos os pais que gostaríamos de ser.

Depois chega Setembro e levamo-los para a escola; entramos na sala de aula e sentimos que nos estão a arrancar o coração do peito e relutamos em entregá-lo a um professor que de facto não conhecemos; e dizemos: “Aqui está! Entrego-lhe o meu coração. Por favor tome bem conta dele – é tão precioso e tão especial para mim! Não sei o que farei sem ele. Por favor, não deixe que nenhum mal lhe aconteça!”

Deixamo-lo lá e ficamos preocupados:


- aprenderão o suficiente?

- ficarão bem neste mundo?

- terão sucesso?

- farão amigos?

- serão felizes?

Por isso esperamos muito dos professores e das escolas.

Lembremo-nos que estamos todos aqui com o mesmo objectivo: nós preocupamo-nos com as crianças. Temos de criar um ambiente em que todas as crianças alcancem o sucesso.

Eu quero que a comunidade escolar dos nossos filhos acredite neles e os inspire a sonhar e os apoie quando estiverem em dificuldades; que os ensine a respeitarem-se a si próprios e a terem empatia pelos que os rodeiam. Algumas crianças aparecem neste ambiente felizes e sem maldade, outros são mais complicados e mais difíceis de conquistar.

Eu quero professores que vejam para além disso e que acreditem que os nossos filhos querem alcançar o sucesso, ser felizes e ser ouvidos e amados.


Eu quero que os meus filhos tenham professores que se envolvam, que os respeitem como indivíduos e honrem cada um deles, aprendendo com as suas capacidades e dons únicos.

Eu quero professores que lhes permitam aprender pelos seus próprios meios. Eu quero que os nossos filhos tenham professores que façam perguntas mais do que dêem respostas. Este mundo é complicado e as pessoas são seres complicados. Eles precisam de adultos que aprendam com eles mais do que lhes ensinem.

Eu quero que os nossos filhos tenham voz e que os professores a oiçam, não só as palavras que dizem mas os silêncios por trás delas; as coisas que talvez as crianças tenham medo de dizer e que apenas são ouvidas com o coração.


Ouvir atentamente é a única forma que os professores têm para ajudar os nossos filhos a sentirem-se física e emocionalmente seguros. Ajudá-los a correrem riscos porque aprender coisas novas é sempre um risco.

E, finalmente, eu quero que ensinem sempre pela modelação; que façam auto-reflexão , que procurem novos desafios, que se esforcem por aprender todos os dias.

Sim! Nós queremos muito para os nossos filhos e há uma pergunta crítica que temos de nos colocar: que podemos fazer para termos a certeza de que cada escola, cada sala de aula, cada aluno, cada criança vá conseguir? Há uma coisa que temos de compreender: não há resposta. Não há uma resposta simples. Não há uma resposta única. De facto, há provavelmente tantas respostas como professores e alunos.

Que podemos fazer?

“Sê a mudança que queres ver no mundo.” Ghandi

Se isto é o que queremos para os nossos filhos, é isto que temos de fazer pelos professores:

- acreditem sempre que os professores querem o que é melhor para os nossos filhos;

- não “se encostem” pensando que alguém vai fazer por vocês

– envolvam-se!

- façam por conhecer os professores dos vossos filhos; mostrem-lhes que os apoiam enquanto trabalham para os fazer alcançar o sucesso; não reajam nem fiquem na defensiva – façam perguntas; disponham-se a ouvir e atentar compreender as razões que estão por detrás das acções ou decisões;

- sejam curiosos: descubram o que os vossos filhos andam a aprender; descubram os problemas que a escola enfrenta; introduza a discussão sobre o que está e o que não está a resultar, sobre o que todos nós precisamos – com o seu filho, com o professor, com o director, com as estruturas da comunidade, com o governo.

As crianças merecem!

A mudança acontece numa pessoa de cada vez. O que vais tu fazer por isso hoje?

.

13 comentários :

  1. Mentiria se dissesse que vi o vídeo e li o que escreveste, amigo Rui.
    Virei mais tarde.
    Mas, antes de sair, devo dizer-te que tudo o que eu tenho trago comigo...para dar aos alunos: o amor pelo que faço, o amor pelo outro. Tudo o resto consegue-se trabalhando.:)

    ResponderEliminar
  2. Este texto deveria ser entregue a todos os pais e ao(à) ministro(a) de Educação.

    ResponderEliminar
  3. Nina
    O post é dirigido exclusivamente a pais e professores ! É imperdível ! Só um trabalho conjunto entre pais e professores pode fazer o nosso ensino resultar.
    Enquanto pais e professores andarem preocupados com a política do ensino, descartando para o ministério da educação os problemas e as responsabilidades, dificilmente chegaremos lá !
    Os pais também não podem achar que a educação e formação dos filhos é da única responsabilidade dos professores.

    Parece mais longo do que é.
    Arranjei uma versão legendada.
    Abaixo só tem a tradução.

    Bj
    .

    ResponderEliminar
  4. Catarina
    Sim ! Pais, Professores e todo os responsáveis e interessados na Educação e na formação das nossas crianças !

    Fundamental é que cada um deles tem "o seu papel" e não apenas um deles ! A responsabilidade é de todos, a escola não é um "depósito", os professores não fazem milagres e os políticos não deveriam ser para aqui chamados !

    Bj
    .

    ResponderEliminar
  5. :(
    Com a net fraca que tenho, sou mesmo obrigada a voltar amanhã.
    Primeiro tenho que deixar o vídeo correr. 7 minutos é meia hora, no mínimo, aqui.
    Amanhã, voltarei...enquanto faço outra coisa, corre o vídeo. Agora são horas de dormir, que bem preciso.
    beijocas

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Se o teu texto é a tradução do vídeo, deixa-me dizer-te que só fui capaz de ler até "Setembro". Hoje não é dia para grandes emoções, até porque, como sabes, me questiono muitas vezes e nem o tenho por casa e estou mais lamechas.
    Acho que o meu coração anda cansadinho.lol
    Volto amanhã...decididamente, para ler tudo.:)

    ResponderEliminar
  8. Rui,
    O que tento fazer, todos os dias, é acompanhar o processo educativo das minhas filhas, a vida escolar delas.
    Estar ali.
    Sempre e sempre disponível.
    Esta semana, e na próxima, com a mais pequenina, passa por ajudá-la na tarefa que ela tem no âmbito do Desenvolvimento Pessoal (Caracther Development)- lavar a louça (foi ela que escolheu) :)))
    E isso é o mais importante - elas saberem que estamos, eu e a mãe, sempre ali para elas.

    ResponderEliminar
  9. O que farei hoje? O que sempre faço, quando estou na escola.
    Quando andava a estudar e chegava a casa com um bom resultado, o meu pai sempre me dizia "É a tua profissão. Eu também faço sempre melhor na minha."
    E assim cresci.
    Na altura achava cruas as palavras do meu pai. Hoje, compreendo-as.
    O grande problema, em qualquer profissão, é não gostarmos do que fazemos.
    Não é o meu caso, como sabes.
    O que mais me chamou a atenção, neste vídeo, foi o respeito pelo professor, bem presente nas palavras desta mãe.
    Se assim fossem todos, acredita meu amigo, o processo seria agilizado.
    É que um professor é humano.Se a sua auto-estima já é fraca, o modo como é olhado pode ajudar ou agudizar.
    No meu caso, felizmente, sinto-me como um patinho na água.
    Por último, deixa-me dizer-te que um vídeo assim se dirige muito mais aos professores de 1º ciclo. Nós já os temos "formados". Apenas os podemos guiar.:)

    ResponderEliminar
  10. Pedro Coimbra
    Acho, tal como o texto sugere, a urgente necessidade de uma completa ligação/interacção, pais/professores !
    A escola não pode ser mais o depósito onde os pais deixam os filhos à responsabilidade de outros, na função mais importante da vida de uma pessoa : a sua educação, instrução e formação, principalmente nos primeiros anos !
    … mas não será suficiente esse acompanhamento apenas nos primeiros dias de aulas. Tem que ser um processo contínuo, por muito que isso custe aos pais.
    Os filhos são muito mais atentos e observadores que o que possa parecer e reagirão de acordo !
    .

    ResponderEliminar
  11. Rosa dos Ventos
    Eu vi, Rosa ! :)
    .

    ResponderEliminar
  12. Nina
    Eu sei que os professores são os menos responsáveis pelos maus resultados de muitos dos seus alunos. O mal já vem de suas casas e do modo como os pais “acompanham” ou melhor, “não acompanham”, o esforço dos professores !
    Os alunos sentem esse desinteresse dos pais e os professores não se sentem suficientemente estimulados !
    A pergunta “o que vais fazer hoje” é dirigida aos pais !... Provavelmente irão culpar o ministério da educação ou os professores por qualquer coisa que não gostaram em vez de tomarem as iniciativas relatadas no vídeo e que tanto poderiam contribuir para os bons resultados dos seus filhos.
    Todos ficariam a ganhar !
    Se todos quiséssemos o sucesso do nosso ensino seria um facto !
    Eu (pai ou professor) imprimiria o texto para ir lendo e procedendo diariamente de acordo !
    .

    ResponderEliminar