09/09/2011

UMA TARDE DE DOMINGO (1ª parte)

.


Naquele tempo ... os domingos eram sempre dias de festa !
Almoço cedinho e toda a família p’ró carro, que era dia de Porto / Benfica !
Naquele tempo não havia futebol em directo na TV, não havia jogos aos sábados, nem à noite! Toda a gente ia ao futebol ! Por isso os estádios se enchiam de gente e não raramente, os jogos eram vistos de pé. Era uma festa do futebol no interior e no exterior dos estádios !

….. Vamos lá, mexam-se todos, que já é tarde. O triciclo, a bicicleta e um lanchinho na mala do carro e lá íamos nós : eu, a mulher e os 3 filhos.


O movimento, junto ao estádio, já era louco uma hora antes do jogo.

Eh! pá, isto não avança mesmo….
Ó sr guarda deixe lá estacionar aqui bem encostadinho que não atrapalha. Não senhor ! … avance, avance !
Oh!... deixe lá, é por causa dos miúdos. Já lhe disse que não e não quero ninguém aqui a “andar parado”. Avance !


Depois de muito tempo a arranjar lugar p´ro carro, os mais pequenos lá ficavam no jardim da Praça de Velasques com a bicicleta, o triciclo e a mãe.
O mais velhito queria ver o Eusébio e eu até gostava de o levar comigo. Era um miúdo porreiro e boa companhia.

Uma bandeirinha, freguês? Ó pai compre! Quer azul e branca ou encarnada ? Olhe, meta as encarnadas ... ali no cantinho. Pega, filho e pôe-na sempre no ar e aberta !

Trânsito complicado, polícia chato, levar a mulher e os miúdos para o jardim, ir a pé para o estádio com o piqueno, o tempo a ameaçar chuva...

Com licença, com licença (3 minutos p’ra começar o jogo). Desculpem o miúdo quer ver o jogo. Porra, o estádio está cheio e só arranjo lugar nas escadas e logo com o puto !
Eih!.. minha senhora, veja lá onde pôe os pés! Calcou-me e magoou-me. Olha para este espertinho!... Ó Manel este gajo está a armar-se em parvo. (O Manel sobe vários degraus com fúria.) O que foi Maria? Quem é o sacana ? Houve lá! O que é que disseste à minha mulher ? Olha que eu ponho-te o focinho num bolo!... (e o miúdo a ver...).

Ó pai, quero fazer chi-chi. Ó filho não vês que agora é impossível ? ... Diz à pilinha que espere !
Olha, temos que nos levantar, que está toda a gente em pé. Assim não vemos o jogo. Ó pai, mas em pé também não vejo ! Tem que me pegar ao colo!

Huuuuu ! Huuuuu !Huuuuu! Gatuuuuno! Gatuuuno ! … Os árbitros entram em campo. Consegues ver alguma coisa? Ó pai, vejo bem a parte de cima das bancadas, do campo, só um bocadinho…

(continua)

.

27 comentários :

  1. Anónimo8/9/11 19:18

    Gostei muito de ler. Até parece que estou a ver a "fita". O começo está ótimo. Venha a segunda parte.

    Sonhadora

    ResponderEliminar
  2. Por causa dessas vontades imperiosas de ir ao wc, o meu pai e o meu irmão não me levavam :)))
    xx

    ResponderEliminar
  3. :)))
    Extraordinário relato.
    Venha a continuação que isto de meter o meu glorioso merece ser lido (já mereceria de qualquer maneira:))

    Fiquei um pouco invejosa, sabes? Não é normal em mim, mas tenho que reconhecer que gostaria de uma vida assim...normal.:)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Isto promete...

    Não me lembro qual o jogo mas que foi uma grande partida, que o meu filho com 4/5 anitos me pregou, lá isso foi. Necessidades fisiológicas sólidas inadiáveis, ali à vista de todos, e sem direito a recurso.
    :)

    ResponderEliminar
  5. cantinhodacasa8/9/11 23:02

    "Diz à pilinha que espere ", ahahahaha!
    Rui, este texto´é a mais pura realidade das idas ao futebol de há cerca de 40 anos.
    Embora eu fosse muito mais tarde, tudo o que aqui descreves, fez-me voltar atrás nos tempo.
    Tudo é o retrato fiel do que eu via/ouvia/não via, porque quem estava à frente, levantava-se e...
    Uma coisa é certa. Nesse tempo, os insultos existiam, algumas brigas também, mas era um prazer ver futebol, apoiar as duas equipas, independetemente de serem "rivais" ou não.
    Acabava o jogo, todos regressavam a casa, felizes ou chateados, mas num ambiente de cordialidade e respeito pelas equipas, o que não se vê hoje.
    Bonito retrato o teu.
    Presumo que o menino da pilinha era o Paulo.
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. É, lembro-me dessas tardes de bola, mas aqui em Benfica, com o trânsito e o autocarros a abarrotar de gente (o metro só chegaria lá uns anos depois). E dentro dos carros estacionados à balda junto à 2ª circular, lá estavam elas a fazer crochet ou renda, tal e qual Penélopes esperando o seu Ulisses... :)))

    Pessoalmente, nunca fui ver um jogo de futebol! Mas sei que a linguagem não muda muito, no que diz respeito aos assistentes e às suas quezílias sobre o que se passa em campo ou fora dele... :P

    ResponderEliminar
  7. Sonhadora
    Ótimo, querida amiga ! Obrigado ! :)
    A 2ª parte é o jogo e sai amanhã ao fim da manhã. :)
    Bj
    .

    ResponderEliminar
  8. Papoila
    Olha que naquele tempo não era nada fácil ir aos wc. Os jogos entre os grandes eram vistos a pé e as próprias escadas estavam cheias de gente ! :))

    Bj
    .

    ResponderEliminar
  9. Nina
    Ainda bem que estás a gostar. Não repares na sintaxe (?). É intencional, para dar mais “ritmo” ao relato (se fosse matemática explicava-te melhor).
    Vais gostar do “jogo” ! :)))

    Beijo
    .

    ResponderEliminar
  10. Fatima
    Amanhã sai o resto. Sabes ? … Isto era o que se passava há 30 a 40 anos ! Creio que com bastante realismo. :))

    Bjs
    .

    ResponderEliminar
  11. Rui Pascoal
    Amanhã acaba o jogo ! :))
    Situações dessas não me chegaram a acontecer, … mas acredito que se a vontade fosse muita, num jogo destes, seria impossível chegar a tempo ao wc ! :))
    .

    ResponderEliminar
  12. Cantinhodacasa
    É verdade, cantinho ! Estou a procurar dar uma ideia tão real quanto possível e amanhã é o jogo, com os “miminhos” da época e tudo o mais ! :)) Vais gostar !
    Claro que era ele. Sempre me acompanhou ! … mesmo hoje e o meu neto já é cliente ! :))

    Beijo
    .

    ResponderEliminar
  13. Teté
    Creio que em Benfica, em Alvalade, como nas Antas o ambiente seria muito parecido ! Esta Praça ficava a 200 m do Estádio e lá ficavam muitos dos familiares com os filhos mais pequenos.
    Na 2ª parte verás o ambiente dentro do estádio, durante o jogo ! :)
    Está escrito de uma maneira “estranha”, corrida, mas a ideia é dar “ritmo” ao relato. :))
    .

    ResponderEliminar
  14. ...e se eu disser que nunca fui ver um jogo de futebol a um estádio... poucos se podem gabar disso ;)mas já fui aos Estádios ver concertos, porque para ir ver tantos homens andarem a correr atrás de uma pobre bolinha a levar tantos pontapés, não me diz absolutamente nada... mas se calhar, fazia bem aos nervos... ir gritar um bocadinho, dizer umas asneiras em voz alta, e num bom dia praticar box ;)))

    Bjos

    ResponderEliminar
  15. Continua Rui que eu estou aqui de ouvido colado ao aparelho estereofónico!

    (Sim, sou da província...)

    ;)

    ResponderEliminar
  16. Ora, amigão, até me envergonhas!
    Eu lá seria capaz de atentar na sintaxe perante um relato perfeito destes?
    Tu não estragues a minha reputação. Olha que eu pertenço ao núcleo de professores muito doces.:)

    ResponderEliminar
  17. (Ah...preciso por lá do link da "acreditação" do teu menino. Falei nele e agora tenho-o que o deixar lá:))

    ResponderEliminar
  18. Quando a família ia ao futebol, não era Rui?
    Eu ia com o meu pai, o meu padrinho, o irmão dele (o tio Fernando).
    Desde pequenino.
    E, depois do jogo, íamos lanchar, conversar.
    Não era só o jogo.
    Era o convívio.
    Já lá vai....
    Um abraço

    ResponderEliminar
  19. Isa GT
    Ora aí está, Isa ! … Vi em tempos um filme em que um psiquiatra receitava ao seu paciente ir para debaixo duma ponte ferroviária, esperar a passagem do comboio e quando ele estivesse a passar que gritasse o mais alto que pudesse o maior chorrilho de asneirolas que lhe viesse à cabeça ! … Esse psiquiatra nunca deve ter ido ao futebol ! Não há melhor lugar para isso ! :)))
    (No post de hoje dê atenção ao padre e à srª Miquelina ! :) )
    Saía-se do estádio preparadíssimo para enfrentar uma semana inteira pela frente ! eheheheh

    Beijinho
    .

    ResponderEliminar
  20. Oops!!!
    Bem lembrado ! … Os rádios ! Sabes que passei por um tempo em que ainda não havia rádios portáteis ?! … e sabes que tinha vizinhos que iam a minha casa ouvir as notícias da Guerra da Koreia ? :))) (por acaso um móvel/rádio que nos “saiu” num concurso de quadras de S. João do Porto, do JN ? ) eheheh
    Logo, escuta o jogo, com atenção ! :))
    .

    ResponderEliminar
  21. Nina
    Tu já reparaste que a maior parte dos meus visitantes são ou foram professores e uma boa parte, de português ?! … estou tramado ! No vosso tempo não se estudava “ciências” ? :)))
    … o que me vale é que todos fazem “vista grossa” à minha escrita ! rsrsrs … são “doces” ! :))

    Quanto à “Força da Acreditação” do meu neto, é uma verdade que todos precisamos dela !
    Aqui está o link :

    http://coisas-da-fonte.blogspot.com/2011/05/forca-da-acreditacao.html

    Bj
    .

    ResponderEliminar
  22. Pedro Coimbra
    Era fantástico ! …Um autêntico dia de festa e de convívio familiar … e os mais pequenos podiam apreciar um jogo na companhia dos pais e outros familiares ou amigos e de borla!
    … e é verdade a “festa” do lanche no fim do jogo, que eles esperavam ansiosamente, enquanto que os mais velhos discutiam os pormenores do jogo ! :)
    Hoje, com jogos a acabar tão tarde e bem pagos, isso é impossível ! Os miúdos têm aulas no dia seguinte e tem que se ir a correr para casa !

    Abraço ! :)
    .

    ResponderEliminar
  23. Recordar é reviver! :-))
    Cá em casa nós ficávamos na bancada enquanto os miúdos jogavam nos infantis do clube da terra e o mais velho ainda chegou aos júniores...
    Eram esfoladelas nos joelhos e resfriados ...que logo passavam!

    Abraço

    ResponderEliminar
  24. Anónimo9/9/11 11:21

    rrrss rrsss rrss fico esperando

    São

    ResponderEliminar
  25. Rosa dos Ventos
    É verdade, Rosa ! Curioso como se escrevem estas coisas com tanto prazer, exactamente porque nos sentimos transportados aqueles tempos e estamos a vivê-los como se fossem neste momento, a recordar cada pequeno pormenor ! Isso é reviver ! :))
    Será um "lugar comum" dizer-se que naquele tempo !... é que era bom ! Na realidade não quer dizer o tivesse sido, mas recordado hoje, é uma sensação extraordinária ! :))
    É a maior das verdades: "recordar é reviver" !
    .

    ResponderEliminar
  26. São

    rsrsrs
    Já não tem que esperar ! Já lá está ! :)))

    Bj
    .

    ResponderEliminar