08/04/2010

A REPÚBLICA PASSOU POR AQUI

.
Re-editado com novo texto e novas fotos (actuais)

A Marota acertou na Praça de D. Pedro IV, agora Praça da Liberdade.
E que foi “anunciada” a Implantação da República.

A Isa GT (a pensar em “rasteira”) ficou de pé atrás e não quis arriscar que pudesse ter tido origem no Porto.

O Luis Tavares acertou que se tratou da Revolta de 31 de Janeiro de 1891 e que tinha sido uma carnificina.

Digo eu, que seria interessante tirar proveito deste post, de grande interesse histórico e para os mais interessados aqui fica:

O Porto actual - Prª da Liberdade, Av. dos Aliados, Prª Gen. Humberto Delgado (frente à Câmara) e a Câmara Municipal










Local:
A Praça da Liberdade ou de D. Pedro IV é por muitos, considerada o coração da cidade do Porto, na Baixa da cidade.Limitada a Norte por dois palacetes onde, entre 1819 e 1915, funcionaram os Paços do Concelho; a oriente pelo Convento dos Congregados; a sul por um tramo da Muralha Fernandina, destruído em 1788 para dar lugar ao Convento de Santo Elói e actualmente chamado Palácio das Cardosas e o lado poente, só mais tarde edificado, onde hoje está o Banco de Portugal.
Ao centro da Praça da Liberdade ergue-se a estátua do rei D. Pedro IV inaugurada em 1866.
A instalação da Câmara Municipal no local, em 1819, a inauguração da Ponte de D. Luís em 1887, a extensão da via férrea até ao local em 1896, com a construção da Estação de São Bento, foram factores decisivos para a tornar no centro político, económico e social da cidade do Porto.
Em meados do século XIX, a Praça era já o "ponto predilecto de reunião dos homens graves da política e do jornalismo".
Em 1916 foi demolido o edifício que serviu de Paços do Concelho, a norte da Praça da Liberdade, bem como diversos arruamentos vizinhos, iniciando-se as obras de construção da Avenida dos Aliados.
Ao cimo da nova avenida foram construídos os modernos Paços do Concelho do Porto
, amplo edifício em granito e mármore, projecto de 1920 do arquitecto Correia da Silva.
A Praça da Liberdade ficou, assim, ligada à nova Avenida dos Aliados, a partir de então ladeada por um conjunto de edifícios dos anos 20 a 40 e à Praça do General Humberto Delgado, frente à nova Câmara, num conjunto urbano de grande monumentalidade e de particular interesse histórico e artístico.

Fonte: Wikipédia

A Revolta de 31 de Janeiro de 1891

Foi o primeiro movimento revolucionário que teve por objectivo a implantação do regime republicano em Portugal.
A Primeira República portuguesa poderia ter começado antes de 1910. Mais precisamente a 31 de Janeiro de 1891 (19 anos antes), no Porto.
A histórica da revolta de militares da cidade Invicta, que acabou por falhar, foi a primeira tentativa de instituir o regime republicano no país.
Alves da Veiga, advogado e professor, foi um dos líderes desta revolução republicana.

Como tudo se passou:

O Batalhão de Caçadores 9 e a Infantaria 10, chegam ao Campo de Santo Ovídio, hoje Praça da República, por volta das 2h30 da madrugada. Ao mesmo tempo, no quartel de infantaria 18, na actual Praça da República, duas companhias arrombaram as portas do aquartelamento e juntaram-se aos revoltosos. Contavam também com o apoio de uma companhia da Guarda Fiscal.
Os militares descem a Rua do Almada em direcção à antiga Praça D. Pedro IV, hoje Praça da Liberdade já pela manhã e começam a formar regimentos frente ao antigo edifício dos Paços do Concelho. Alves da Veiga proclama a República à varanda da Câmara Municipal, hasteia uma bandeira vermelho e verde, com fanfarra, foguetes e vivas à República, e lê os nomes dos elementos que iriam formar o governo provisório.
(Rua de Santo António) – Rua 31 de Janeiro : declarada a República, um regimento militar e a multidão decidem subir a Rua de Santo António, actual Rua 31 de Janeiro, em direcção à Praça da Batalha, com o objectivo de tomar a estação de Correios e Telégrafos, mas são surpreendidos pela Guarda Municipal, encontrada, estrategicamente, em escadarias (que já não existem) da Igreja de Santo Ildefonso.
Com uma artilharia superior, a Guarda Municipal abafou a revolta republicana do Porto.
Relatos da época apontam a morte de 12 revoltosos e 40 feridos.
Tropas e povo eram escorraçados num banho de sangue, Rua de Santo António abaixo pela guarda municipal. A República tinha durado uma manhã.
Porque falhou? Porque os revolucionários, “apesar da coragem dos oficiais, dos sargentos e dos soldados, ladeados pelo povo anónimo e conduzidos por chefes como o alferes Malheiro, o capitão Leitão ou o tenente Coelho”, iam “às ordens dos chefes civis empolgados mas pouco preparados para o combate às armas”.

fontes: várias Internet

Questão inicial:
(A República passou por aqui) Por onde e porquê ?
Onde fica, no Porto, esta Praça e o que é esse edifício em frente ?

A Proclamação da República em 31 de Janeiro de 1891 nas varandas dos Paços do Concelho, por Alves da Veiga:


Desenho alusivo à situação (ao cimo, a Torre dos Clérigos) :


No alto da Rua 31 de Janeiro (trincheiras)


A Praça da Liberdade naquele tempo com o edifício dos Paços do Concelho em frente:




.

35 comentários :

  1. tão obvio!!!

    aqui no blog porque tu decidiste que sim...

    ResponderEliminar
  2. Implantação da Républica ;)

    ResponderEliminar
  3. A Praça chama-se agora Praça da Liberdade. Obrigadinho Rui, por me andares a mostrar o Porto.

    ResponderEliminar
  4. Vício
    Às vezes, intencionalmente, quando a foto não diz muito deixo uns "rabinhos de fora", para facilitar. Não foi agora o caso, pelo menos, intencionalmente. Não estou a ver o que fosse .... :))) ???
    .

    ResponderEliminar
  5. Marota
    Como sabes tivemos 5 Reis, Pedro. Qual é ?
    A Praça, chama-se agora, da Liberdade, certo !
    Não é a Implantação da República.
    A minha intenção nestas "coisas" não se limita a "mostrar". É importante tirar mais algum proveito das imagens que coloco. :))
    .

    ResponderEliminar
  6. D. Pedro IV, o fugitivo ;)

    ResponderEliminar
  7. Bom...será Praça do Município em Lisboa?
    Ou terá mais alguma rasteira, como de costume ;)))

    ResponderEliminar
  8. Mas se a República passou por aí, também pode ser no Porto e o Rui como de costume, deixa-me toda baralhada ;D

    ResponderEliminar
  9. Não desisto...onde começaram os confrontos foi na Praça do Rossio em Lisboa e depois "a batatada" espalhou-se pela Rotunda, Tourel...e muitos sítios foram local de passagem da República...
    Fico à espera da resposta certa e sem roer as unhas, porque não tenho esse hábito, senão...
    ;)))

    ResponderEliminar
  10. Sim não é a implantação da Repüblica, mas quanda esta foi anunciada. Ou será que li mal?

    ResponderEliminar
  11. Isa
    Desta vez não há “rasteiras”. :)
    Já tinha dito acima que era Praça da Liberdade ou de D. Pedro (qual ?)..., a Marota respondeu abaixo.
    A Marota já disse que “ando a mostrar o Porto”. rsrsrsrs
    A Republica passou por aqui, de facto e antes de ser República, porque depois, seria evidente que sim. :))
    .

    ResponderEliminar
  12. Marota
    Sim é D. Pedro IV.
    Não é a Implantação da Repüblica, mas foi de facto anunciada nesta Praça. A declaração pecou por antecipação.
    Que antecipação ?...
    O que se passou realmente ?
    .

    ResponderEliminar
  13. Tem a ver com a reforma do ensino?

    ResponderEliminar
  14. Marota
    Já se tinha dito que houve um anúncio da Implantação da República, mas por demasiada antecipação.
    Não tem a ver com o ensino, Tem a ver com muitas mortes.
    .

    ResponderEliminar
  15. Luis Tavares
    Exacto. Foi num dia 31 de Janeiro do ano ????
    ... e ficou para a história, como uma Revolta heróica, mas mal sucedida.
    .

    ResponderEliminar
  16. de 1891,não foi?
    Foi uma carnificina.

    ResponderEliminar
  17. Luis Tavares
    Verdade Luis.
    Revolta de 31 de Janeiro de 1891 - 19 anos antes da que veio a resultar em 5/10/1910.
    .

    ResponderEliminar
  18. Aprendi muita coisa aqui hoje.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  19. Fatima
    Agora com a explicação de como tudo se passou e novas fotos dará para (uma professora de História, no Brasil) aprender e poder ensinar muito mais ! Quem sabe se poderá haveer alunos do Porto ? ... :))
    Beijão, minha querida amiga.
    .

    ResponderEliminar
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  22. Creio que sim. O nº é o 21 (Rua Emílio Navarro).

    ResponderEliminar
  23. Bem eu resolvi hoje de manhã parar de googlar para encontrar respostas às tuas perguntas - Eu ando a abusar e qualquer dia ainda vou ter problemas por causa destas brincadeiras ;). Todos os dias de manhã, tento convencer-me a não bloguear enquanto não devo, mas infelizmente acabo sempre por ceder... a partir de amanhã vou portar-me como deve de ser. Cumps

    ResponderEliminar
  24. Oh, esqueci-me de mencionar algo importante. Normalmente só posso vir "por conta própria online" à noite. É lógico que continuarei a vir aqui tentar ganhar todos estes desafios ruiianos. Acho óptimo misturar Históra e outros temas pelo meio. Bussi Bussi - Marota

    ResponderEliminar
  25. Marota
    Não acredito. Uma campeã não desiste assim. rsrsrsrs
    Vais Googlar menos um bocadinho e só dentro das horas devidas, OK ?
    Também não quero sentir-me responsável por quaisquer problemas rsrsrsrs
    Beijinho.
    .
    .

    ResponderEliminar
  26. cantinhodacasa8/4/10 22:01

    Olá Rui.
    Como sempre, venho mais pela calada do anoitecer e não vejo os teus posts.
    Mas queria dar uma achega. Não desfazendo os edifícios e praças actuais, mais modernas, adoro ver as fotos antigas com os edifícios tal como eram no seu tempo.
    Exemplo: a penúltima foto está fantástica. Uma praça larga, apazível...Os automóveis vieram alterar tudo, não achas?
    Beijinho

    ResponderEliminar
  27. Cantinho
    Não é por uma questão de saudosismo, que não é o caso. Conhecendo hoje tão bem os locais, acho curiosíssimo ver como eram antigamente e imaginar os hábitos e a maneira de viver das pessoas da época. Claro, transportes incluidos.
    Não posso dizer que preferia o antigo, mas concordo que os automóveis na cidade são um mal, talvez dificil de anular.
    Curioso que nessa foto que referes há uma fila de trens puxados a cavalo, ao lado esquerdo da foto.
    Lembro-me de "O Tripeiro" (revista) que o meu pai coleccionava e tinha imensas fotos do Porto Antigo (antigo já naquela época) e quanto me deliciava a apreciar as fotos ! Hoje não sei se ainda existem na família.
    Por ex. "os carros electricos" de hoje, antigamente chamavam-se "os Americanos" e eram puxados a cavalos.
    .

    ResponderEliminar
  28. muito bem!
    mas quando falei no numero era para tentar referir-me que a primeira letra do nome do edificio forma o numero da porta

    ResponderEliminar
  29. Mas ainda não descobri onde aRua Emílio Navarro é. Porto, Freixo de Espada à Cinta ou Lisboa?

    ResponderEliminar
  30. Vicio
    Aahhh ! Vou ver melhor.
    Obrigado pelo "teste" (contigo, aprende-se :)) )
    .

    ResponderEliminar
  31. Marota
    Eu explico : O Vício (que é "um barra" em informática) tem-me apanhado muitas vezes com "gato escondido, com rabo de fora", ou seja : deixo ficar uma ou outra pista na foto, que permite "chegar lá", com alguma facilidade, mesmo sem ajudas.
    Fez este "teste" para me experimentar...

    Nota: Não são horas para a minha querida amiga andar a googlar, heim ! rsrsrsrs
    Beijinho
    .

    Trata-se do Hotel Astória, em Coimbra, na rua e nº referido.
    .

    ResponderEliminar
  32. voltei aqui para mostrar o que tinha dito.
    não foi facil mas consegui uma imagem do nome do hotel
    podes ver aqui

    se reparares o primeiro A forma o nº 21 (apenas uma curiosidade que passa despercebida a muita gente)

    ResponderEliminar
  33. Vício
    Tinha ido por outro lado, para chegar também à Rua ;)

    Curioso que nesta imagem o "A" (de Astória) à primeira vista confunde-se com letra gótica e passa despercebido, mas lá está o 21 !!!
    Ideia curiosa !

    Obrigado, Vício.
    .

    ResponderEliminar