22/02/2010

SABEM O QUE É E ONDE ?

.
Re-re-editado

Porque escolhi esta foto ?
Talvez porque seja (ou é mesmo) o edifício do Porto que encerra mais carga histórica, pela sua “estranha” beleza e construção (exterior e interior) e por ser imperativo conhecer um pouco da sua história.
Digno e possível de ser visitado.
A ele estiveram ligados : desde Filipe I , D. José, Camilo Castelo Branco, Ana Plácido, Duque da Terceira, José do Telhado, João Chagas, etc..
Começado em 1765, demorou 29 anos a construir e custou 1€ .
Notável a sua fachada estreita com cerca de 8 metros !
A fachada principal tem 103 janelas.
A partir da década de 70, passada, deixou de ser utilizado para as funções que desempenhava, foi restaurado e convertido para a nova utilização, em 1997.


Do lado Nascente do Jardim da Cordoaria, (Campo dos Mártires da Pátria) a 50 m. da Torre dos Clérigos e em frente à Faculdade de Ciências, o edifício, construído para funções de “Tribunal da Relação”, seguido de “Cadeia da Relação”, como ficou conhecido até há pouco tempo (ou ainda hoje), viu iniciadas as obras em 1765, no reinado de D. José. A conclusão ocorreu em 1796, já no reinado de D. João VI,
Foi erigido no local onde se encontrava um outro edifício levantado por iniciativa de Filipe I, danificado por um incêndio em, 1630, dez anos antes da Restauração.


Aqui, pode ler-se toda a história da “Cadeia da Relação”,

que recomendo leiam, por conter "coisas" muito curiosas, tais como:

quem por lá passou (gente tão notável (!);
como eram distribuidos os presos em função da sua classe social:
porque foram presos Camilo e Ana Plácido (e como Camilo encarava a sua prisão);
onde Camilo escreveu as “Memórias do Cárcere”;
em que situação e localização, esteve também presa Ana Plácido;
quem foi José do Telhado e como conviveu na prisão com o célebre escritor;
o que o edifício testemunhou da história de Portugal, especialmente relativa ao Porto;
porque era conhecido, como “Hotel Mira - Patos” ;
como os condenados à morte passavam as últimas horas, com a "ajuda" do relógio da Torre dos Clérigos ;
a descrição da Cadeia e as suas condições :


O velho edifício, depois de muito e ingloriamente se ter discutido acerca do seu destino, saiu do âmbito do Ministério da Justiça, de onde nunca deveria ter saído, por coerência histórica e lealdade à tradição, é hoje, desde Novembro de 1998, a sede do Instituto Português da Fotografia e local de realização de actividades culturais.

Museu criado com a finalidade de promover e melhorar o valorização do Património de Fotografia Português, tem um programa anual de exposições temporárias, museu permanente e um serviço gratuito de visitas guiadas, sendo necessário efectuar reserva, mas com entrada livre.
.

26 comentários :

  1. BOM DIA, meu amigo Rui.
    Estou dando uma passada rápida para dar uma satisfação de minha ausência por estes dias. Estou com a casa cheia de gente, filhos e genros, desde terça-feira. Amanhã cedo eles retomarão suas vidas normalmente. Daí posso voltar com mais calma. No momento existe uma fila para entrar na internet (rs). Estou numa correria só.
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... aproveita para desejar uma boa semana.
    Beijo grande.

    ResponderEliminar
  2. Andamos a brincar com os ouvintes é o que é... olha-se e volta-se a olhar e é que não se chega a conclusão nenhuma!
    Grrrrrrrrrrrrrrr

    ResponderEliminar
  3. Olá Silvana.
    Ter a família junta é o principal e o melhor que há. Uma Boa Semana !
    .

    ResponderEliminar
  4. Swt
    Para ver aí de casa é um pouco difícil rsrsrs
    Grrrrr , como posso ajudar ?...
    Vá lá. é mais para Norte de Lisboa. :))
    .

    ResponderEliminar
  5. Mais para Norte quanto? Mafra?

    ResponderEliminar
  6. Vão subindo, subindo,...
    (Vou saír)
    .

    ResponderEliminar
  7. Olá Rui, boa tarde.
    Não dou conta mesmo. Passo...
    Deixo o meu kandando e votos de uma boa semana que aí vem

    ResponderEliminar
  8. Talvez Vila do Conde, vá...

    ResponderEliminar
  9. Parece um museu de Amsterdam, sei lá, nao sei...
    difícil,
    Ah é em Portugal onde tem coisas lindas, mais difícil ainda. rsrs
    .Depois venho conferir, ok?
    abraços

    ResponderEliminar
  10. Kimbanda, Obrigado.
    Uma Boa Semana, Também para si.
    Vá seguindo as pistas.
    :))
    .

    ResponderEliminar
  11. Swt.
    Por acaso o edifício que nos aparece pela frente à entrada Sul de Vila do Conde até tem umas semelhanças !... mas não é.
    Este é mais a Sul de V. do Conde.
    .

    ResponderEliminar
  12. Olá lis, obrigado pela tentativa :))
    Para uma brasileira é mais difícil, talvez impossível. rsrsrs
    Vai conferindo :))
    Bjs.
    .

    ResponderEliminar
  13. OK., eu "dico" agora,... vou dormir e amanhã "dico" mais:
    No Porto !
    .

    ResponderEliminar
  14. Não conhecia o edifício! Terá sido tribunal? Para Ana Plácido e Camilo Castelo Branco passarem por lá... ;)

    ResponderEliminar
  15. Isto não é ao pé dos leoes?

    (Olá, tomei a liberdade de me meter na conversa! lol)

    ResponderEliminar
  16. Este edifício deve ser a prisão onde Camilo e Ana estiveram detidos.
    A construção custou duzentos mil réis? Quem diria que duzentos e cinquenta anos mais tarde, correspondia à esmola que se dá a um arrumador de automóveis, 1€.
    O prédio é lindo, mas encerra certamente muita coisa feia.
    E parece estar muito bem conservado!

    ResponderEliminar
  17. Teté.
    Boa ! Quando o edifício foi construído foi de facto para essa função, (Tribunal da Relação) mas posteriormente e durante muito tempo, ficou conhecido por outra função, entretanto também já alterada.
    Como já vi que acertaram, vou complementar o texto e aí ficará a explicação.
    .

    ResponderEliminar
  18. Cleo
    Antes de mais muito Bem-vinda a este espaço.
    É sempre com muito prazer que recebo caras novas. Espero que as visitas se repitam com frequência e está à vontade para te meter em todas as conversas. é isso mesmo que eu pretendo ! rsrsrs
    Quanto à resposta, Boa !... é sim senhor ao pé dos leões. Ficará a uns 100 metros, mas como já vi que acertaram, vou responder acrescentando ao texto da foto.
    Até já Cleo !
    .

    ResponderEliminar
  19. Kim
    Tal como no comentáriuo anterior,antes de mais muito Bem-vindo ! É sempre uma grande satisfação encontrar novos visitantes. Fico muito satisfeito por isso.
    Quanto à resposta, Bingo ! Trata-se da (antiga) "Cadeia da Relação" que sucedeu ao "Tribunal da Relação" e é hoje o "Centro Português de Fotografia".
    Acrescentarei ao texto o que lhe falta.
    Até já, Kim e parabéns.
    .

    ResponderEliminar
  20. Eu conhecia o edifício, mas a perpsectiva enganou-me e estava convencido que era na Praça de Lisboa

    ResponderEliminar
  21. É curioso, que tão próximo que está da Torre dos Clérigos (50 m.), que toda a gente conhece, passe despercebida à maior parte das pessoas que vão ao Porto !
    Quantas vezes passei por lá em miúdo, com o meu pai e era habitual os presos acenarem através das grades.
    Eu ficava com um misto de medo e pena !
    Vale a pena ler o link.
    .

    ResponderEliminar
  22. Olá Rui!
    Quando olhei para ele,pareceu-me tão óbvio que não acreditei...como não acerto uma por estes dias...As vezes que lá passei à porta!

    ResponderEliminar
  23. Olá Luis.
    Era realmente óbvio, mas curiosamente não é um local de muita "passagem" turística, não sei bem porquê.
    Condidero-o de facto um dos edifícios mais históricos da cidade e com uma arquitectura muito estranha, praticamente triangular com aquele "vértice" frontal fantástico.
    Tente a próxima. :))
    .
    .

    ResponderEliminar
  24. cantinhodacasa24/2/10 22:49

    O mPorto tem edifícios muito bonitos dignosnde serem vistos.
    Em tempos andava por aí a pé e via-os tods, mesmo que não sabendo os nomes.
    Gostei.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  25. Olá cantinho
    Eu lembro-me de passar lé em frente, em miúdo e os presos acenavam por entre as grades. O meu pai explicava-me o que era e eu ficava com um misto de pena e de medo.
    Creio que esse sentimento perdurou e foi interiorizado por mim e por uma grande parte da população, de modo que o local não era nada apelativo e daí ser evitado por muita gente.
    Talvez por isso, não ter sido considerado um local turístico de passagem e a maior parte das pessoas nunca ter reparado bem nele.
    É pena, pela história que encerra.
    Hoje já não há motivos que impeçam uma visita, ao novo "Centro Português de Fotografia". Os presos passaram para Custóias e Santa Cruz do Bispo.
    .
    Beijo
    .

    ResponderEliminar